II DIRETRIZ DE AVALIAÇÃO PERIOPERATÓRIA

Há cinco anos, um grupo de cardiologistas envolvidos com os cuidados perioperatórios criou a COMISSÃO DE AVALIAÇÃO PERIOPERATÓRIA (CAPO) DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. Este grupo tinha como objetivo agregar as pessoas interessadas no assunto e difundir informação e conhecimento nessa área da Cardiologia que era pouco contemplada em estudos clínicos. Hoje a CAPO conta com 199 associados, o que demonstra o interesse que o assunto vem despertando entre os Cardiologistas e que apesar de todas as dificuldades do nosso cotidiano, esta Comissão tem conseguido agregar os interessados no assunto. Além do fomento à discussão do tema da avaliação perioperatória nos congressos da SBC e no site da CAPO por meio dos casos clínicos, nossa prioridade foi elaborar a I DIRETRIZ DE AVALIAÇÃO PERIOPERATÓRIA DA SOCIEDADE BRASILERIA DE CARDIOLOGIA. Foi um trabalho árduo que durou cerca de 3 anos, com reuniões, discussões, cobranças e procura de consensos… Neste trabalho, vimos que esta é uma das áreas em que existem poucos ensaios clínicos de expressão com grande número de pacientes. Mas estamos no mundo das evidências e precisamos cada vez mais de informações científicas de qualidade. Neste sentido, a Diretriz foi o primeiro passo. Os cerca de quarenta especialistas envolvidos na área analisaram as evidências disponíveis e, deram sua opinião baseada na experiência pessoal. Assim como a Diretriz foi um desafio vencido, acreditamos que aumentar as evidências por meio de mais e melhores ensaios clínicos possa representar o próximo desafio. Está em discussão o mapeamento dos grupos capazes de contribuir para um grande banco de dados brasileiro sobre avaliação perioperatória que poderá responder alguns dos questionamentos existentes nessa área. Por fim, temos a certeza de que esta Diretriz não é a verdade final, mas uma ferramenta prática a ser utilizada à beira do leito, em conjunto com a experiência clínica. A exemplo das demais diretrizes da SBC, a interpretação destas recomendações deve ser baseada na análise individual do paciente e na experiência do médico assistente. Este é o melhor caminho para um bom exercício da medicina. Conforme anunciamos no último Congresso da SBC, a versão preliminar desta diretriz já foi enviada, em primeira mão, para todos os sócios da CAPO. A versão final será publicada no mês de maio no site dos Arquivos Brasileiros de Cardiologia. Esperamos que a cada revisão, esta Diretriz possa ser aperfeiçoada com mais dados e evidências originadas no Brasil. fonte: http://departamentos.cardiol.br/gapo/diretrizes.asp

II_diretriz_perioperatoria

Compartilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published.